sábado, 28 de junho de 2008

Flores Incertas
























Fiz nascer a certeza
De tempos impetuosos
E
Logo
atravessou folhas secas
Nos sorrisos
amadurecidos
Tristeza
Na alma
Chuva
No pensamento
Nao estou bem certo agora
Nem poderei ficar
So traga flores
Antes que possam
Murchar...

Alma Bela

Nenhum comentário:

PARADA CARDÍACA


Essa minha secura
essa falta de sentimento
não tem ninguém que segure,
vem de dentro.

Vem da zona escura
donde vem o que sinto.
Sinto muito,
sentir é muito lento.

Paulo Leminski


Quem sou eu

RAZÃO DE SER Escrevo. E pronto. Escrevo porque preciso, preciso porque estou tonto. Ninguém tem nada com isso. Escrevo porque amanhece, E as estrelas lá no céu Lembram letras no papel, Quando o poema me anoitece. A aranha tece teias. O peixe beija e morde o que vê. Eu escrevo apenas. Tem que ter por quê? Paulo Leminski