sexta-feira, 4 de julho de 2008

Sorriso Entre Flores




















Escutou-se
Um abraço
Daqueles gritantes
Estremeceu
A rosa
Colheram-se risos...

Sensações e perdas
Pranto duradouro
Discreto
Espalhando ventos...

Alcançou o céu
Calçando nuvens


E
Mesmo sendo tardia
A face cobriu-se
Alegria.

Renata Dos Anjos

Nenhum comentário:

PARADA CARDÍACA


Essa minha secura
essa falta de sentimento
não tem ninguém que segure,
vem de dentro.

Vem da zona escura
donde vem o que sinto.
Sinto muito,
sentir é muito lento.

Paulo Leminski


Quem sou eu

RAZÃO DE SER Escrevo. E pronto. Escrevo porque preciso, preciso porque estou tonto. Ninguém tem nada com isso. Escrevo porque amanhece, E as estrelas lá no céu Lembram letras no papel, Quando o poema me anoitece. A aranha tece teias. O peixe beija e morde o que vê. Eu escrevo apenas. Tem que ter por quê? Paulo Leminski